Todos os artigos de SPEM

Regulamento do Prémio «Jovens Investigadores – Associação Ibérica de História Militar – Banco Santander»

Artigo 1.º

A Associação Ibérica de História Militar (séculos IV-XVI) e o Banco Santander decidem criar o «Prémio Jovens Investigadores, Associação Ibérica de História Militar – Banco  Santander».

Artigo 2.º

O Prémio tem edições previstas para os anos civis de 2016 e 2018 e destina-se a galardoar trabalhos científicos sobre história militar da Península Ibérica dos séculos IV a XVI, produzidos por investigadores até 35 anos de idade, de todas as nacionalidades.

Artigo 3.º

 O Prémio terá o valor de 3.000 €, em cada uma das suas edições (2016 e 2018).

Artigo 4.º

Os trabalhos concorrentes terão ser inéditos e de ter um mínimo de 250.000 carateres (incluindo espaços) e deverão ser apresentados numa das línguas atualmente faladas na Península Ibérica, ou então em inglês, em francês ou em italiano.

Artigo 5.º

As candidaturas deverão ser apresentadas até ao dia 30 de junho do ano a que diz respeito o Prémio (2016 ou 2018), em correio postal registado a enviar para os dois endereços seguintes: João Gouveia Monteiro, Rua do Tirado, n.º 125, 3040-806 Cernache, Portugal; e Francisco García Fitz, Calle San Petersburgo, n.º 9, 4.º andar Direito, 10005 Cáceres, Espanha. Além disso, os candidatos deverão enviar uma versão eletrónica para o endereço de e-mail da Associação: aihmilitar@gmail.com

Artigo 6.º

Em ambas as edições, o júri será constituído por cinco personalidades: o Presidente e o Vice-Presidente da Associação Ibérica de História Militar, um representante do Banco Santander e dois elementos indicados rotativamente pelos corpos gerentes da Associação Ibérica de História Militar (devendo um deles ser de nacionalidade portuguesa e o outro de nacionalidade espanhola). Em caso de conflito de interesse de algum membro do júri com as candidaturas apresentadas, esse membro do júri deverá abster-se na votação final.

Artigo 7.º

A deliberação do júri será tomada por maioria, em cada ano a que respeita a edição do Prémio, até ao dia 15 de outubro, devendo ser tornada pública nos canais próprios da Associação e na comunicação social portuguesa e espanhola.

Artigo 8.º

A entrega do galardão terá lugar até ao final do ano civil a que disser respeito o Prémio.

Artigo 9.º

O Prémio poderá não ser atribuído, se o júri assim o entender. Não haverá atribuições ex aequo, nem direito a recurso. Poderão ser atribuídas Menções Honrosas, se o júri o considerar justificado.

Artigo 10.º

A Direção da Associação Ibérica de História Militar reserva-se a possibilidade de publicação resumida do trabalho premiado na sua revista eletrónica (intitulada e-Strategica) e/ou de publicação integral do trabalho vencedor em versão digital.

Artigo 11.º

O candidato a quem for atribuído o Prémio compromete-se expressamente, e como condição do recebimento do galardão, a autorizar que a sua imagem e dados sejam divulgados, inclusive pela imprensa, e com o conteúdo e nos termos entendidos convenientes pelos promotores da iniciativa, em ordem à promoção e divulgação do Prémio, dos próprios beneficiários, das suas instituições académicas de origem e dos promotores do evento.

Artigo 12.º

Todos os casos omissos neste regulamento serão resolvidos pelas direções da Associação Ibérica de História Militar e do Banco Santander, sob parecer do júri.

Download do Regulamento Prémio Jovens Investigadores

VIII Jornadas Luso-Espanholas de História Medieval

Nos próximos dias 3 e 4 de Dezembro de 2015 decorrerão, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, as VIII Jornadas Luso-Espanholas de História Medieval, que este ano têm como tema central “De ambos os lados do Estreito:
 A propósito de Ceuta (sécs. VIII-XV)”.

A temática desdobra-se em quatro secções:

1 – Antes de Ceuta: território e fronteira entre o Al-Andalus e a Hispânia Cristã (sécs. X-XV);

2 – De ambos os lados do Estreito: interdependências, mobilidades e continuidades no Islão ocidental (sécs. VIII-XV);

3 – A construção de uma nova legitimidade política: Avis e Trastâmaras no palco peninsular (sécs. XIV-XV);

4 – Ceuta e o problema das origens da Expansão (sécs. VIII-XV).

Procura-se assim integrar um momento específico de análise em contextos e conjunturas muito mais abrangentes, e integrar as questões fundamentais e mais actuais que se colocam quando se reflete sobre Ceuta, no presente.

Organizadas pela Sociedade Portuguesa de Estudos Medievais, em colaboração com a sua congénere espanhola e com diversas faculdades e unidades de investigação portuguesas, as Jornadas contarão com a presença de mais de sessenta conferencistas oriundos de Portugal, Espanha, Brasil e Porto Rico.

Ver programa

Ver cartaz

Inscrições: € 10; estudantes : € 5

 

Fundação da AIHM – Associação Ibérica de História Militar (sécs. IV-XVI)

No dia 13 de junho de 2015, no Palácio da Independência, em Lisboa, um grupo de quatro dezenas de pessoas, portuguesas e espanholas (na sua maioria docentes e investigadores universitários, alunos de cursos de Mestrado e de Doutoramento, ou gente com responsabilidade na gestão de equipamentos e de instituições com intervenção na área da história militar) fundou a «Associação Ibérica de História Militar, séculos IV-XVI» [AIHM], aprovando os respetivos Estatutos e elegendo os seus primeiros corpos gerentes.

Esta Associação traduz o grande relevo que a história militar está a adquirir a nível internacional e que se exprime num grande número de publicações, na produção de dissertações de 2.º e de 3.º Ciclos, no interesse crescente do grande público pela visita a museus, centros de interpretação e campos militares, e até na existência, em algumas prestigiadas universidades (p. ex., na Universidade Complutense de Madrid), de cátedras de história militar.

Também na Península Ibérica, nos últimos trinta anos, a investigação nesta área conheceu um incremento substancial, em boa parte devido à atividade intensa das comissões portuguesa e espanhola de história militar. No entanto, a projeção internacional desta realidade é ainda escassa, num mundo onde a cultura erudita tem uma forte dependência do que se produz nos países de expressão anglo-saxónica, francófona ou germânica. Além disso, a articulação interna entre o que a este nível se faz em Portugal e em Espanha é ainda muito incipiente.

Surgiu, por tudo isso, o projeto de criar um ponto de encontro, para pôr em rede, para dinamizar, coordenar e divulgar a investigação científica que se faz no mundo hispânico sobre história militar, mais concretamente no que diz respeito ao período compreendido entre o século IV (a fase final do mundo romano) e o século XVI (que assinala o arranque da expansão ultramarina, em que os países ibéricos foram pioneiros). A intenção é promover reuniões científicas anuais, publicações conjuntas (digitais e em papel), visitas de estudo, aprofundar pesquisas e, ao mesmo tempo, apoiar jovens investigadores que se dedicam a esta área. A AIHM já tem existência legal e um endereço eletrónico institucional pelo qual pode ser contactada (aihmilitar@gmail.com). Já dispõe também de uma página web (http://aihmilitar.wix.com/site) e está a desenvolver esforços no sentido de, em 2016, lançar a revista digital e-Strategica e organizar a sua primeira grande reunião científica. A Associação deseja dar-se a conhecer a nível ibérico e mundial, estando totalmente aberta à entrada de novos sócios efetivos, propostos por dois sócios fundadores e aceites pelo Conselho Diretivo.